10 de setembro de 2008

concurso fnac

este desenho eu fiz para o concurso FNAC de novos talentos. eu já tinha alguma prática com tirinhas, que são muito curtas, e mesmo assim já exigem um bocado de tato para saber como conduzir seu andamento e principalmente o momento de terminá-la. para este concurso, porém, deveríamos fazer uma história relacionada ao tema 'infinita diversidade em infinitas combinações', organizada na forma de HQ, com apenas uma página A4. com isso eu descobri o quanto é difícil elaborar um roteiro. mais, elaborá-lo pensando no que se quer dizer, como dizer, por quê dizê-lo, com que objetivo fazê-lo, e tudo isso ainda amarrado por um tema xumbrega, sem contar a parte de torná-lo desenhável e agradável, pois eu garanto que não posso desenhar tudo o que gostaria. sinto que a composição ficou bacana, os desenhos também, mas o roteiro nem de longe se constituiu como coisa amarrada e muito menos clara. tenho medo de não ter sido claro o bastante e por isso mesmo ter fugido do tema. não importa muito, na verdade, foi um exercício bastante construtivo, foi a primeira vez que peguei isso nas mãos, figurativamente falando, e ainda percebi como é fácil recair em nossos lugares comuns. minha idéia era falar de diversidade através de indivíduos, das peculiaridades não necessariamente compartilhadas de cada um, que constituem a diversidade em si, afinal, é a partir delas que temos a diferença como esta coisa tão comparável entre existências diversas. recaio naquela idéia de que só estamos sozinhos até o instante anterior à percepção de estarmos 'viajando', naquele pequeno descontrole de emendar pensamentos por proximidade. mesmo sozinhas as pessoas ainda estão acompanhadas dos representantes que fazemos delas. é esta combinação entre nós e as infinitas facetas de nossos amigos palpitando em nossas ações, imaginando o que pensariam se soubessem o que fazemos nestas horas, no estar sozinho. e o curioso é que quando penso nisso, justamente, tenho a certeza de ter passado longe de concretizar isso numa história. me parecem frases suspensas, significado duvidoso.

6 comentários:

Bruno K disse...

o que ocê usou pra desenha-lo (tecnicamente)?

daniloz disse...

ah, esqueci desta parte;
fiz um esqueletão de lápis, bem de leve, depois fiz os contornos a bico de pena, apagando o que ainda aparecia do lápis e por fim pintei as grandes massas com nanquim, usando diversas aguadas para fazer as sombras.

Sacha disse...

A narrativa lembra um pouca A Pior Banda do Mundo...

Tito Peçanha Leitão disse...

sachato, você é muito chato.

mas eu te amo do mesmo jeito...

Sacha disse...

Meu comentário foi um elogio... a pior bando do mundo é um dos meus quadrinhos favoritos e acho extremamente difícil conseguir uma narrativa similar. Não deixa de modo algum de ser original.

Jules disse...

Uau ficou a-n-i-m-a-l e gostei ainda mais da justificativa - mais não sei dizer se você saiu ou não da proposta Danilo...Ah! entrei pelo blog do Márcio e comentei por lá mesmo,
grande trabalho, mesmo!