31 de outubro de 2008

porque há dias em que cozinhamos o mau-humor em água fria até este estar encorpado o suficiente para entalar em nossa garganta e ficar com o dedo no disjuntor, pronto a botar a chave abaixo e desligar o conector cerebral que mede o tato social e a simpatia. aliás, palavra tenebrosa e proibida para aos desavisados que se derem ao direito de questionar a verdade universal e irremediável de um dia ao lado do famigerado. as pessoas não entendem que o mau-humor foi feito para afastar os inconvenientes de nós.

3 comentários:

Tito Peçanha Leitão disse...

a tirinha ficou genial.
o último box me parece inspirado num comentáro análogo da mamãe no trânsito.
e que fica muito mais legal com um macaco chihiro do mau humor...

disse...

genial, concordo!

adoro a forma com que seu desenho ocupa e nos conduz ao longo do papel!

Beá Meira disse...

Danilo,

Também observei uma coincidência nos elementos dos seus desenhos e dos meus:
Há uma serpente lá na festa do mar e o mau-humor se parece com um sapo. Lá no cadernos a serpente é um dragão e é também a muralha da China. E o sapo que saíu de uma ilustração da idade média representa os espíritos impuros que saem da boca do dragão, da besta e do falso profeta.