17 de abril de 2010

tamanduateí 15.04.2010 (I)


fiz uma segunda visita ao tamanduateí esta quinta e fiz mais quatro desenhos que ainda estou terminando. desta vez fui testar que tipo de papel usar, porque não dá para ficar desenhando em papel de baixa gramatura como tinha feito da outra vez, preciso de algum que agüente umas aguadas e tal. ai minha mãe achou (e me intimou a usar) uns cadernos de aquarela que estavam sobrando em casa (sim, o que precisar tem na minha casa, em se tratando de material de desenho) e me deu para eu experimentar. estes desenhos que vão aparecer, são 4 no total, foram feitos neste papel canson 100% celulose texturizado 'montval' para aquarela, 300 gramas por metro quadrado. a questão é que este papel 'gasta mais o grafite' então tenho que tomar cuidado na hora de ficar detalhando, acho que tenho que usar uns grafites mais duros no croquis para conseguir não borrar os detalhes menores. o papel é bom, portanto, mas o formato me incomodou em relação ao anterior; o desenho 'widescreen' horizontal é o que mais me agradou para a paisagem fluvial, porque pega mais as margens e dá uma distorcida bonita nos cantos, uma sensação de continuidade muito maior, mais próxima do dinamismo visual do pedestre. este formato A4 padrão deste caderno me incomodou demais porque bem quando a curvatura da margem evoluiria para um traço mais bonito, pimba, o papel tinha acabado. é um quadro muito fechado, que nem tentar fotografar paisagem com uma lente 50mm, não dá. então o que decidi para formato definitivo de trabalho é uma folha A3 cortada na metade na longitudinal, ou seja, 42 x 15 cm, e acabei comprando uma folha de papel de algodão bacanuda da fabriano para experimentar também.

Nenhum comentário: