7 de outubro de 2010

tfg - 08/xx


esta oitava prancha, na verdade, eu tinha terminado anteontem. mas ficou tão horripilantemente ruim que desencanei de mostrar, aliás, desencanei de utilizar no trabalho. estava num mau-humor danado, acho que em parte pela coisa do pé, enfim, deu errado pra burro. mas não nego que o erro trouxe coisas boas, (já sei, parte do processo e tal) foi muito bacana começar a usar a aquarela. aqueles testes que postei aqui ontem e hoje são parte disso, mas no meio também fiz a próxima tirinha que sai segunda-feira no folhateen, que me deu outra animada.



partindo do princípio que usaria aquarela, portanto, o método de trabalho muda um pouco; o traço muito forte, grosso, apesar de eu gostar muito, atrapalha a conversa entre os tons. tive que aliviar na mão, portanto, ai o grafite escaneado sofre demais para aparecer, mesmo puxadão no photoshop.


agora, aquarela tem uma coisa que é também tão crucial no nanquim mas que talvez fique mais óbvia com cor, mais que acertar a mão, tem que acertar a hora de parar. tá certo que isso serve para qualquer coisa que se esteja fazendo, mas no desenho é crítico. dá para ficar uma semana numa aquarelinha de 5 x 5 cm, agora eu consigo entender perfeitamente isso. já vi trabalho de um cara que ficou uns meses, este aqui, mas ai também é coisa de louco, apesar de ter ficado fodido de bom. enfim, cada um conforme seu saco, mas comecei a pegar gosto pela coisa.

Um comentário:

Tito Peçanha Leitão disse...

o primeiro está fantástico
e o segundo está esquisito,
mas com certeza cumpre seu papel